O que deveria ser apenas uma divergência política virou caso de polícia. O eleitor de Jair Bolsonaro foi levado para o hospital, mas recusou o atendimento e foi embora. Ele disse que agrediu uma mulher na confusão. Já o apoiador de Fernando Haddad confessou que chutou o professor, que caiu e bateu a cabeça no chão.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.